Associação Padre Victor

Notícias › 02/05/2014

Encontro internacional sobre sociedade e trabalho

logo_mobileRealiza-se de 8 a 10 de maio, na Sala Nova do Sínodo, no Vaticano, o encontro internacional anual promovido pela Fundação Centesimus Annus – Pro Pontifice sobre o tema “Boa sociedade e futuro do trabalho: solidariedade e fraternidade podem fazer parte das decisões relativas ao mundo dos negócios?”

“No ano passado, em seu discurso dirigido aos membros da fundação, o Papa Francisco pediu-lhes para refletir sobre os espaços concretos que a solidariedade pode ter na vida econômica. Optamos por acolher esse convite como diretriz do encontro deste ano”, explicou o Presidente da Fundação Centesimus Annus – Pro Pontifice, Domingo Sugranyes Bickel, na apresentação da iniciativa.

A reflexão, animada por expoentes do organismo, empresários e representantes do mundo eclesial provenientes de vários países, partirá de uma visão abrangente das tendências econômicas atuais, especialmente no que diz respeito à questão da criação de oportunidades de trabalho.

Depois, a análise se concentrará numa série de quesitos sobre questões de importância primordial, como a tendência ao aumento das diferenças entre trabalhos altamente qualificados de um lado e trabalhos pouco qualificados de outro; a diminuição dos trabalhadores tradicionais nas indústrias; a passagem, depois de quase um século, da percepção e medida das desigualdades fundada no binômio, países desenvolvidos e subdesenvolvidos, a uma época em que as desigualdades são medidas dentro de cada país.

“Neste cenário, composto de fatos novos e desconhecidos, aprofundaremos o que pode significar a solidariedade ou a falta dela na economia e na vida social, considerando a questão em termos teóricos e práticos; abordando, por exemplo, temas como a luta contra a economia do crime e a organização de programas eficazes de ajuda social. Analisaremos também como os empresários consideram a solidariedade e a fraternidade em suas próprias atividades”, disse ainda o presidente da fundação.

“Como responsáveis de atividades econômicas, sabemos que em nossas organizações existem homens e mulheres e não máquinas ou entes mecânicos teóricos, tais como o chamado ‘homo oeconomicus’, fruto de certas teorias clássicas, elevadas a ideologia. Trabalhamos com pessoas, ou seja, seres humanos capazes de generosidade e gratidão. Não é suficiente que a empresa seja eticamente responsável e participativa. Os problemas atuais superam o nível macro-econômico e é preciso uma mudança de prioridades no âmbito coletivo”, disse ainda Sugranyes Bickel.

Segundo o Presidente da Fundação Centesimus Annus – Pro Pontifice, “nesta mudança a Doutrina Social da Igreja pode trazer novas ideias, livres de laços ideológicos e vão além de interesses de partes. O Papa Francisco nos convida a este empreendimento ambicioso e nós tentamos seguir o seu passo rápido”.

Para 2014, a fundação programou outros encontros internacionais como o seminário em Dublin, na Irlanda, sobre reforma financeira e bem comum, e um encontro em Nova York sobre a questão urgente da pobreza e a responsabilidade de proteger as populações vulneráveis. Sobre essas questões, a Fundação pretende realizar um documento contendo as conclusões e uma série de recomendações a serem apresentadas ao Santo Padre e difundidas nas universidades, organizações econômicas e centros de estudos.

Por Rádio Vaticano

X