Associação Padre Victor

Notícias › 13/06/2014

FAO destaca papel da Igreja no combate à fome e agradece apoio do Papa

criancas_fomeO diretor geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, FAO, José Graziano da Silva, afirmou, na manhã desta quinta-feira, que Papa Francisco irá até a sede da agência no dia 20 de novembro, onde participará da segunda Conferência Internacional sobre Nutrição.

“Para mim é difícil dizer qualquer outra coisa sobre a participação de Papa Francisco a não ser agradecer. Agradecer seu apoio ao trabalho da FAO. Acredito que a presença de Papa Francisco não somente nos impulsione a trabalhar ainda mais, como também é, de certa maneira, uma parceria que temos e que não envolve somente a Igreja Católica – mas todas as religiões – na questão da segurança alimentar e na luta contra a fome”, defendeu Graziano da Silva.

A FAO e a Santa Sé sempre mantiveram boas relações desde a fundação da agência, após a segunda Guerra Mundial. Desde a transferência da FAO dos Estados Unidos para Roma, em 1951, é tradição que os pontífices participem das mais importantes assembleias da organização e publiquem mensagens pelo Dia Mundial da Alimentação: assim fizeram Papa Paulo VI, São João Paulo II, Papa emérito Bento XVI e, mais recentemente, em 16 de outubro de 2013, Francisco.

“É um escândalo que ainda haja fome e subalimentação no mundo! Não se trata só de responder a emergências imediatas, mas de enfrentar juntos, a todos os níveis, um problema que interpela a nossa consciência pessoal e social, para chegar a uma solução justa e duradoura”, escreveu o Pontífice.

A contribuição da Igreja na luta contra a fome é essencial para localizar aqueles que têm mais necessidades e onde, muitas vezes, os governos não conseguem chegar. É nesse contexto que o Observador permanente da Santa Sé junto à FAO, Dom Luigi Travaglino, diz que a Igreja sempre será referência para afrontar o desafio de erradicar a fome no mundo.

“Aquilo que a Igreja faz para resolver, afrontar estes problemas da fome e da subnutrição é uma questão de experiência. Ter olhos para enxergar, porque não há um País no mundo onde exista um pobre que não haja por perto um representante da Igreja, ou um cristão, um fiel. Nós podemos continuar a dar essa contribuição porque sempre tivemos ao centro o respeito da pessoa humana”, finalizou Dom Travaglino.

A segunda Conferência Internacional sobre Nutrição acontecerá 22 anos depois da precedente e será organizada pela FAO e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com a FAO, nestas mais de duas décadas, os progressos na redução da fome e da subnutrição foram inaceitavelmente lentos. A FAO estima que entre 2011 e 2013 mais de 842 milhões de pessoas não tiveram acesso à alimentação adequada no mundo; que cerca de 45% das quase 7 milhões de crianças mortas tenha tido causa ligada à subnutrição e que, atualmente, 99 milhões de crianças estão desnutridas.

Por Rádio Vaticano

X