Associação Padre Victor

Notícias › 08/05/2014

Vaticano se prepara para a 48º Jornada Mundial das Comunicações Sociais

untitledCom o objetivo de dar a conhecer e de compartilhar as diversas iniciativas no âmbito das comunicações que vem sendo realizadas pelas entidades eclesiásticas em todo o mundo por ocasião da 48ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais que a Igreja Católica celebrará no dia 1º de junho, Solenidade da Ascensão do Senhor, o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais (PCCS) fez uma convocatória para uma “mesa em comum”.

“Seguindo nossa vocação de ‘suscitar e apoiar adequadamente a ação da Igreja e dos fiéis nas múltiplas formas da comunicação’, convidamos as Dioceses, Comunidades, Associações e Agentes Pastorais a enviar-nos seus recursos pastorais sob o tema deste ano 2014. Os conteúdos multimídia podem ser enviados para info@intermirifica.net e como todos os anos este material será publicado no portal web do nosso Dicastério www.pccs.va”, diz a nota de imprensa emitida pelo dicastério vaticano em sua página web.

“A Comunicação ao serviço de uma autêntica cultura do encontro” é o tema da 48ª Jornada das Comunicações Sociais, o qual foi proposto pelo Santo Padre Francisco em mensagem apresentado no dia 24 de janeiro, na memória de São Francisco de Sales, padroeiros dos jornalistas.

Na dita mensagem o Sumo Pontífice faz um chamado para que a “Cultura do encontro”, se dê também no que se denominou as “Ruas digitais”: “Entre estas ruas também se encontram as digitais, povoadas de humanidade, aos poucos ferida: homens e mulheres que buscam uma salvação ou uma esperança. Graças também às redes, a mensagem cristã pode viajar ‘até os confins da terra’ (Atos 1,8). Abrir as portas das Igrejas significa abri-las no mundo digital, tanto para que a gente entre, em qualquer condição de vida na que se encontre como para que o Evangelho possa cruzar o umbral do templo e sair ao encontro de todos”.

A este respeito, o Papa também assinala: “A rede digital pode ser um lugar rico em humanidade: não uma rede de cabos, mas de pessoas humanas. A neutralidade dos meios de comunicação é aparente: só quem comunica pondo-se em jogo a si mesmo pode representar um ponto de referência. O compromisso pessoal é a raiz mesma da fiabilidade do comunicador. Precisamente por isso o testemunho cristão, graças a rede, pode alcançar as periferias existenciais”.

“Estamos chamados a dar testemunho de uma Igreja que seja a casa de todos. Somos capazes de comunicar este rosto da Igreja? A comunicação contribui para dar forma à vocação missionária de toda a Igreja; e as redes sociais são hoje um dos lugares onde viver esta vocação redescobrindo a beleza da Fé, a beleza do encontro com Cristo. Também no contexto da comunicação serve uma Igreja que logre levar calor e ascender os corações”.

Por Gaudium Press

X